Desenho do artista Julian Bouhenic
Houve um tempo em que a doença do século era a tuberculose. Hoje já podemos dizer que é a depressão. E muitas vezes a depressão está associada com a ansiedade. 





É importante lembrar que ansiedade não é apenas aquele friozinho na barriga para falar em público ou fazer uma entrevista de emprego. Essa sensação é normal e pode até ser saudável. O transtorno de ansiedade pode ser tão desgastante a ponto de impedir o funcionamento normal da vida. 

Comigo não é diferente. Tenho ansiedade social: meu contato com as outras pessoas é muito difícil, embora eu nem sempre deixe transparecer que estou em pânico ao falar com conhecidos. Às vezes o gasto de energia em manter a mente sã no convívio social é tão grande que o corpo fica cansado e simplesmente apaga na primeira oportunidade.

Quantas vezes já pedi desculpas pelos meus sumiços? Eu já perdi a conta. Planejo mil coisas mas simplesmente não consigo colocar em prática por estar ansiosa. A ansiedade tira o chão que eu piso, acelera os batimentos do meu coração e me faz querer desaparecer com medo de cometer alguma gafe em público.

A ansiedade me deixa exausta.

Por vezes perco a noção de quem realmente sou quando a ansiedade está presente. Ela se agarra em mim como um bicho amedrontado. Sei que desfiz muitas amizades por causa dela. Sei também que muitas pessoas não aguentam conviver com alguém fugaz, que foge de conversas e acaba desmarcando o encontro por estar com medo. 

Eu não quero ser essa pessoa, mas isso não é algo tão simples de resolver. Aprendi, há pouco tempo, a não me achar uma pessoa ruim por ser assim. Essa não sou eu. E talvez tenha sido melhor o afastamento de algumas pessoas, elas não entenderiam de qualquer forma. 

Me isolar não significa que eu não ame as pessoas, pelo contrário. Amo tanto que tenho medo de fracassar, medo de ser inconveniente, medo de criar laços profundos e ser abandonada. Tenho medo de sentir medo, então evito situações desgastantes como uma simples visita ou uma ida ao cinema. 

Eu costumava adorar ir ao cinema e assistir filmes em casa. A ansiedade tirou meu prazer desses pequenos momentos comigo mesma. Preciso fazer um esforço enorme para me concentrar na leitura dos meus livros ou para assistir algo na TV, mesmo que seja um assunto do meu interesse.

A ansiedade faz com que minha boca esteja sempre machucada, porque eu não consigo parar de morder os lábios. Meus dedos também me causam vergonha, por estarem sempre vermelhos, por isso também deixei de fazer as unhas. Pode parecer uma coisa pequena, mas são os pequenos cuidados diários que constroem nossa autoestima.

Eu já busquei ajuda mas sei que o caminho a percorrer ainda é longo. Se você sofre com a ansiedade ou conhece alguém que sofra, tenha empatia. Seja a rede de apoio de alguém e não uma pedra no sapato.


Via Oficina de Psicologia

22 Comentários

  1. Menina, eu compreendo perfeitamente esse feeling. Hoje posso dizer que já melhorei muito e graças a Deus! <3 Heuhe! Eu me sentia muito mal em público, e esse medo do convívio social também. O que me ajudou, além de meditação, foram vidjos no Youtube falando sobre nossas emoções e sentimentos (você faz Psico, né?! Então, acho que deve entender melhor que eu sobre isto, heuhe!), aqueles áudios de música para cura e liberação de medo subconsciente e orações, mesmo. Ajuda muito, tanto que me considero até curada, pra ser sincera! Desejo muita saúde nesse ano novo, viu?! Grande beijo, e fiquei feliz com a visita em meu blog! <333

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiz História, Psicologia é um plano a médio prazo hehe
      Também assisto muitos vídeos, me ajudam muito!
      Fico feliz que tenha melhorado <3

      Excluir
  2. Empatia é tudo que a gente precisa.
    Espero que vc melhore, se recupere e consiga conviver com esse mal, pq eu sei o quanto é difícil. Fico super chateada quando cancelo algo pq sei que terei alguma crise e alguém aparece dizendo que é frescura.. =/


    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São poucas as pessoas que entendem, infelizmente :/

      Excluir
  3. Muito elucidativo!
    Adorei a estrutura do post e a sua escrita!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  4. Espero que você consiga superar essa ansiedade. Eu já fui mais tímida, agora eu aprendi a relaxar mais.
    big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Carolina, acho importante demais cuidar da nossa saúde mental (e a das pessoas que a gente ama). Torcendo aqui para que você fiquei bem e que 2018 seja um ano que você consiga superar muitos dos seus "medos" sociais. Ansiedade é doença do século, me parece. Ontem, numa reunião de amigos, fiquei impressionada como cada um tinha uma história de transtorno de ansiedade (e derivados). Você não está sozinha. Um beijo querida e boas festas!

    Não Me Mande Flores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, conheço MUITA gente com os mesmos problemas. Com certeza é a doença do século!
      Muito obrigada <3

      Excluir
  6. Convivo com o transtorno de ansiedade exatamente a 4 anos. Os dois últimos anos, fiz uso de droga para poder controlar. Até ontem, estava limpo do uso de drogas.. Infelizmente tive uma crise de ansiedade e para não surtar fiz uso.. Me vi entre palavras nesse seu poste.. Continuamos a lutar.. mesmo que não aja forças..

    ResponderExcluir
  7. Sei exatamente como você se sente, pois recentemente me percebi como uma pessoa ansiosa. Eu sempre fui muito tímida e muito rigorosa comigo mesma, mas vejo que com os anos, isso foi arrastando algumas coisas juntas. Com a diferença dos aspectos físicos que você descreveu, eu sinto muitas dores no corpo, no estômago, tenho vitiligo... E isso esta muito ligado ao emocional ansioso. Tenho buscado ajuda também, mas, como você disse, não é do dia pra noite. Todos os dias é uma conquista, por mais simples que seja. Torço por você! Um grande abraço!

    Natália
    www.nataliadasluzes.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também torço por você! Pode demorar, mas acredito que ao menos o controle dessa doença nós vamos atingir. Muita força <3

      Excluir
  8. O pior de ser ansioso e um pouco tímido é ser jornalista... KKKK, sem brincadeiras agora, realmente nada mais verdadeiro do que aquele velho ditado que diz "Tudo em excesso faz mal.".

    ResponderExcluir
  9. Me identifico um pouco com a sua história,sou ansiosa mas não ansiosa ponte de morder algo ou me isolar totalmente.Não sou muito de amizade mas amo fazer planos e as vezes não dou conta de correr atrás deles mas é uma questão de parar e decidi qual é a minha primeira prioridade.Parabéns pelo post aposto que tem pessoas que precisam de ajuda e saberem que não são as únicas que passam por coisas assim!!

    ResponderExcluir
  10. Eu totalmente me visualizei nesse texto. As mensagens no whatsapp que deixo de responder, a falta de vontade em conversar com as pessoas, os sumiços... É extremamente desgastante! Eu amava ler, ir ao shopping e aos poucos isso foi se tornando cruel. Pequenos problemas se tornam uma bola de neve. Muita força pra nós! Vamos superar esses momentos.

    Blog Fabíola Pereira

    ResponderExcluir
  11. Te entendo totalmente, além de ansiedade tenho depressão e transtorno bordeline. Mas sou mais de tentar não ficar sozinha, porque é quando os monstros tentam me atacar e a coisa fica feia infelizmente. Te desejo toda força do mundo na sua caminhada por mais longa que talvez ela seja, e mais força ainda quando tudo acabar ou pelo menos amenizar, porque você merece toda essa força e também toda a luz do mundo.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. As vezes nós não conseguimos enxergar eu faço isso o tempo todo, e não percebia... além de não querer socializar hoje sinto dificuldade de realizar tarefas simples.. como arrumar a casa ou estudar... Ta lindo seu blog, e o seu texto também.

    ResponderExcluir
  13. Me identifiquei com algumas partes do texto, eu costumo ter um pouco da ansiedade social também, principalmente quando não conheço as pessoas ao meu redor, fico com muito medo de ser mal interpretada, julgada e costumo me isolar muito, mas sei que isso não faz bem.. Parabéns pelo blog e pelo texto. Saúde mental merece e deve ter nossa atenção <3 Beijos

    ResponderExcluir